top of page
  • Foto do escritorG5 Solar

Conheça as diferentes tecnologias em módulos fotovoltaicos


Descubra a seguir diferentes materiais e tecnologias utilizadas para a criação de um equipamento solar.



Os módulos fotovoltaicos são componentes essenciais nos sistemas de energia solar, uma vez que são responsáveis por converter a luz solar em eletricidade. Existem diversas tecnologias disponíveis atualmente para a fabricação desses equipamentos, cada uma com suas características únicas em termos de eficiência, custo, durabilidade e aplicação. No texto a seguir, apresentaremos algumas das principais tecnologias empregadas.




Silício cristalino

A tecnologia de silício cristalino é a mais amplamente utilizada em módulos fotovoltaicos. O silício é o material base, processado para formar células solares individuais, as quais são interligadas para formar um módulo. Existem duas categorias principais de células de silício cristalino: células monocristalinas e células policristalinas. As células monocristalinas são feitas a partir de um único cristal de silício, enquanto as células policristalinas são feitas a partir de múltiplos cristais de silício. As células monocristalinas são mais eficientes, mas também exigem maior investimento. Já as policristalinas são mais acessíveis e menos eficientes, em comparação a anterior.


Silício amorfo

O silício amorfo é uma tecnologia de células solares que usam uma camada fina de silício depositada sobre um substrato. Essa tecnologia tem a vantagem de ser muito flexível, o que a torna adequada para aplicações onde os módulos precisam ser dobrados ou curvados. Os de silício amorfo também têm uma boa tolerância à sombra e um bom desempenho em condições de pouca luz, mas geralmente têm uma eficiência menor do que os módulos de silício cristalino.


Telureto de Cádmio (CdTe)

Os módulos de telureto de cádmio são uma tecnologia relativamente nova. Eles usam um material semicondutor de telureto de cádmio como a camada de absorção de luz, o que os torna particularmente eficientes em condições de baixa luz e em ambientes quentes. Os módulos de CdTe também têm um baixo impacto ambiental, já que usam uma quantidade muito pequena de materiais perigosos em sua fabricação.


Cobre-índio-gálio-selênio (CIGS)

Os módulos CIGS utilizam uma camada fina de cobre, índio, gálio e selênio como material absorvente de luz. Eles são considerados uma alternativa promissora aos de silício cristalino, pois têm uma eficiência comparável, mas são mais leves e flexíveis. Eles também conseguem manter uma alta eficiência em condições de pouca luz.


Perovskita

Por último, as células solares de perovskita são uma tecnologia emergente em módulos fotovoltaicos. Elas são feitas a partir de um material semicondutor de perovskita, com a vantagem de ter alta eficiência energética, baixo custo e facilidade de fabricação. E mais, as células possuem uma eficiência de conversão de energia solar de 20% a 25%, o que as torna competitivas com as células solares de silício convencionais. O seu cenário é revolucionário e estudiosos acreditam que ela irá crescer ainda mais, em um futuro próximo.




Com isso, percebe-se que existem diferentes tecnologias e materiais para a produção de uma placa fotovoltaica. Acesse nosso site e entre em contato com as nossas empresas parceiras para saber como você pode passar a produzir sua própria energia solar e acompanhe os conteúdos postados todos os meses no nosso site e não esqueça de nos seguir nas redes sociais: @g5solar_.



230 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page